MARLI TAKEDA

notícias

Marli Takeda cria instalações no Japão usando a técnica de entrelaçamento de adesivos (07/02/2020)
X
[link externo]
 
A artista plástica Marli Takeda voltou recentemente do Japão onde apresentou sua arte de entrelaçamento de adesivos em três unidades da ICC School, escola de idiomas localizada na capital japonesa. Foi a segunda vez que ela esteve lá. A primeira foi há cerca de seis anos, na Unidade de Ginza – uma das principais áreas comerciais de Tóquio. Desta vez ela ela fez uma em Tóquio e outras duas na Unidade de Shinjuku.
Para criar sua arte, Marli usa como principal material de trabalho folhas adesivadas que são descartadas por empresas e gráficas. Formada pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo.

Jornal Nippak 
Jornalista Aldo Shiguti
Marli Takeda viaja ao Japão para apresentar sua arte (03/11/2019)
X
[link externo]
Você já imaginou que um pedaço de adesivo que é descartado facilmente a natureza possa se transformar em arte? Pois é, essa é a arte sustentável, criativa, colorida da artista visual e produtora cultural de exposições e instalações do projeto de arte pública colaborativo por ela desenvolvido utilizando adesivos de reaproveitamento. Seu trabalho encontra-se representado em Museu, Mosteiro, Pinacoteca, Centro Cultural, Universidades e coleções no Brasil e no exterior.Em dezembro a artista viaja ao Japão pela segunda vez para fazer duas instalações na cidade de Shinjuku (Tóquio) em uma das cinco unidades da escola ICC School. Inclusive, aproveitando a visita ao Japão, Marli fará restauro da obra pública que se encontra em Ginza. Além de Tóquio pretende visitar outras cidades como; Kyoto, Hiroshima, Osaka, Kamakura, Yokohama e deseja escalar o Monte Fuji. Em entrevista, a artista Marli Takeda define a importância que sua arte estabelece entre o homem e a natureza. “Assim como cada cidade tem o seu encanto, cores e culinária típica, meus trabalhos procuram evidenciar em formas, cores a alegria e possibilita capacitar a comunicação sustentável entre o homem e a natureza”, explica Marli. “Em meus trabalhos, além dos aspectos formais como linha, forma, cor, equilíbrio, cujo tema é baseado nas questões sobre a tolerância, humanidade, entre outras reflexões, suscitando questionamentos e criando oportunidades de dialogar, existem conteúdos preservacionistas da maior importância, utilizando sobras industriais que ao serem descartadas como lixo, contribui para a poluição do meio ambiente”, adverte a artista. De acordo com a artista, que ambiciona chamar atenção das pessoas para os problemas ambientais decorrentes dos resíduos da sociedade moderna, tem trabalhado com a estética e com a ética, ou seja, com a beleza e com os princípios que orientam o comportamento humano no sentido de respeitar normas e valores essenciais da realidade social. “A conscientização costuma ser lenta, mas é possível aos poucos criar um grande entrelaçamento, como vemos em minhas produções, onde os elos são ligados uns aos outros, formando uma grande rede de ações positivas”, alerta Takeda. 

Luci Júdice
https://www.portaloriente-se.com/marli-takeda-viaja-ao-japao-para-apresentar-sua-arte-sustentavel/
Usina 14 realiza Expo 1806 (25/10/2018)
X
[link externo]
A Expo 1806 será a primeira exposição realizada pelo coletivo Usina 14 por meio do Fundo Municipal de Cultura (FMC), lei de fomento a cultura de São José dos Campos. Cerca de mais de 50 artistas de São José, Brasil e Exterior participam do evento.
Centro Educacional Pioneiro - O Dia da Escola (23/09/2016)
X
[link externo]
https://pioneiro.com.br/noticias/o-dia-da-escola/

O Centro Educacional Pioneiro é fruto do sonho de Dona Michie Akama, obra que é o importante legado que ela deixou para a sociedade. Por isso a data escolhida para celebrar o nosso Dia da Escola não poderia ter sido outro senão o dia do nascimento desta notável educadora: 18 de setembro.
Anualmente comemoramos a ocasião promovendo eventos e homenagens, que em 2016 foram organizados durante a semana de 19 a 23 de setembro. Aqui apresentaremos um pequeno resumo dessas ações.
Segunda-feira, 19 de setembro
Encontro com três convidados muito especiais: Junko Watanabe, Kunihiko Bonkohara e Takashi Morita, sobreviventes da tragédia de Hiroshima na Segunda Guerra Mundial. Os três imigrantes japoneses vieram compartilhar suas histórias de vidas, uma conversa que gerou uma reflexões sobre temas como as guerras, as relações sobre as nações e a energia nuclear e seus perigos. Sem dúvida uma experiência enriquecedora para todos.
Terça-feira, 20 de setembro
Cerimônia oficial do Dia da Escola, com um breve discurso sobre a vida e o trabalho de Dona Michie Akama e uma apresentação musical dos alunos alunos das turmas de 4º e 5º anos (canção “Furosato”). Realizada nos períodos da manhã e da tarde.
Oficinas de uma técnica de adesivagem, nas quais participaram alunos de todas as turmas, professores, coordenadores e demais funcionários. O objetivo foi o treinamento para a produção de uma instalação artística coletiva que será executada na escola, orientada pela artista plástica Marli Takeda.
Fórum de discussão “Escola sem partido”, promovida para os alunos do Ensino Médio.
Quarta-feira, 21 de setembro
Distribuição de docinhos em homenagem ao Dia da Escola.
Palestra “A ONU e as relações políticas internacionais”, com o cientista político Heni Ozi Cukier. Para alunos do Ensino Fundamental II e Médio.
Divulgação dos resultados e premiação do “I Concurso de Redação”.
Homenagem na Praça Dona Michie Akama, organizada por representantes da Fundação Instituto Educacional Dona Michie Akama.
Sexta-feira, 21 de setembro
Execução da instalação artística coletiva, sob orientação da artista plástica Marli Takeda.

https://pioneiro.com.br/noticias/o-dia-da-escola/
 
Programa "Sonho meu" - Rede Globo (09/05/2015)
A enfermeira foi ver de perto como a artista plástica Marli Takeda trabalha.
X
[link externo]

 http://redeglobo.globo.com/como-sera/sonho-meu/noticia/2015/05/sonho-meu-enfermeira-vai-abandonar-tudo-ou-nao-para-viver-como-pintora.html
 
AP'ARTE Galeria de Arte Contemporânea - Portugal [A estética da tolerância] (20/09/2014)
X
[link externo]
http://www.apartegaleria.com/exposicoes.php?exposicao=9B017A03-CEC7-434B-ABB5-E0BE048AE1DE
 
Revista Mundo OK (10/07/2014)
[22º Encontro Nacional - ANPAP] (15/10/2013)
X
[link externo]
http://www.anpap.org.br/anais/2013/ANAIS/comites/c/Geraldo%20Souza%20Dias.pdf
[Colégio de São Bento de São Paulo] Colégio de São Bento exibe mostra sobre o Cristianismo na China (11/06/2013)
X
[link externo]
Teve abertura na última quarta-feira, 05 de Junho, no Mosteiro de São Bento de São Paulo a exposição “China Cristã: história, paisagem, arte e cultura”
A mostra destaca a presença do cristianismo no extremo Oriente, dando ênfase à sua História iniciada no século VII por cristãos nestorianos e os diversos períodos de empreendimentos missionários durantes os séculos.
Na exposição os visitantes poderão apreciar um pouco da cultura chinesa por meio de objetos próprios daquele país, evocando a presença do cristianismo e o que os missionários cristãos encontrarão na China.
Dentre os objetos são destaque:
Estátuas dos guerreiros de terracota de Xian da dinastia Qin, porcelanas da dinastia Qing, imagens sacras, vestes típicas, instrumentos musicais, fotografias, livros e outros, além da instalação em adesivo de um dragão chinês da artista plástica Marli Takeda.
Exposição “China Cristã: história, paisagem, arte e cultura”
Período: de 05 de junho a 05 de julho
horário: de segunda a sexta-feira das 9h ao meio-dia e das 13h às 17h.
Entrada Gratuita

Para saber mais:

China Cristã: história, paisagem, arte e cultura
É do conhecimento de todos que a Igreja vem a alguns anos sofrendo perseguição na China. Em alguns lugares não é fácil ser cristão, expressar livremente a fé em Cristo. No entanto, existem aqueles que são perseverantes e continuam o trabalho de missionários que nos legou a fé no Deus de Israel, encarnado na pessoa de Jesus Cristo.
Em vista disso, apresentamos a exposição “China Cristã: história, paisagem, arte e cultura” numa viagem a um país que conhecemos equivocadamente apenas como “um país comunista”. Há várias Chinas, no sentido de vivências diferentes num imenso país oriental. O Cristianismo é uma destas muitas formas de vida na China, embora minoritária. Além disso, é um cristianismo peculiar, uma vez, como já fora mencionado, não há liberdade religiosa em tal nação.
A História do Cristianismo na China é longa. Os cristãos chegaram por lá ainda no Século VII. Existe um monumento que comprova tal chegada, a chamada “Pedra Nestoriana”, erigida no ano de 781 em comemoração aos 150 anos da chegada dos cristãos nestorianos à China. Já no século XIII, outros cristãos foram enviados à China pela Igreja, como o franciscano italiano João de Montecorvino, tido como o 1° bispo da China. Posteriormente, os Jesuítas também tiveram interesse pelo Extremo Oriente, tendo à frente São Francisco Xavier, que embora não tenha chegado à China, inspirou missionários como Mateus Ricci, que com grande esforço conquistou o prestigio do imperador e de nobres.
Embora longa, a História do Cristianismo na China é também turbulenta. Nestes vários séculos milhares de cristãos foram perseguidos e mortos simplesmente por serem católicos e acreditarem no Cristo. Com isso, o Papa João Paulo 2° canonizou a 1° de Outubro do ano 2000, 120 Mártires Chineses que entregaram suas vidas por causa da fé.
Nesta exposição o visitante poderá conhecer um pouco mais esta história e a fascinante e milenar cultura chinesa, com a qual os cristãos na China convivem. É também uma oração pelos Cristãos na China. Objetos, imagens e até mesmo, sons serão possíveis notar nesta viagem singela e pura em que Cristo é apresentado como o Salvador do mundo.
[Claraval] CHINA CRISTÃ: HISTÓRIA, PAISAGEM, ARTE E CULTURA (05/06/2013)
X
[link externo]
Ir. João Baptista
Terá abertura na próxima quarta-feira, 05 de Junho às 10h, no Mosteiro de São Bento de São Paulo a exposição “China Cristã: história, paisagem, arte e cultura”
A mostra destaca a presença do cristianismo no extremo Oriente, dando enfase à sua História iniciada no século VII por nestorianos e os diversos períodos de empreendimentos missionários durantes os séculos.
Na exposição os visitantes poderão apreciar um pouco da cultura chinesa por meio de objetos próprios daquele país, evocando a presença do cristianismo e o que os missionários cristãos encontraram na China.
[Criação e Vida] A imagem ganha som (29/05/2013)
X
[link externo]
As cores e os movimentos sugeridos pelas obras plásticas de Marli Takeda instauram uma espécie de harmonia musical em quem observa os seus trabalhos. A proposta visual que ela gera impede uma relação de indiferença e se caracteriza por um convite a uma complexidade.
O grande desafio de quem se detém sobre as suas obras é não se deixar cativar apenas pelos detalhes, mergulhando no conjunto que cada tela oferece. São dois movimentos que se articulam nos processos de composição da artista: um que est
imula a ver de perto a construção proposta; outro, mais distante, em que o todo é o essencial.
As duas propostas são complementares e se articulam no sentido de permitirem a quem se debruça sobre as pinturas a imersão em novos mundos. Há alusões, por exemplo, ao universo biológico ou das profundidades abissais. Mas isso é o menos importante. A grande questão está no delicado processo do pensar que acompanha o fazer que se vê.

Existe em Marli Takeda o erguer progressivo de um procedimento mental em que as criações se articulam numa jornada em que o espontâneo se faz presente, mas é colocado em forma de resultado graças a um progressivo esmero na técnica e num fascinante jogo de cores e gestos que parecem ganhar som a cada novo olhar.

Oscar D’Ambrosio integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA-Seção Brasil). É doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie e mestre em Artes pelo Instituto de Artes da Unesp.
 
[Revista Acqua da Unesp] Revista Acqua da Unesp foca Política Nacional de Irrigação (27/05/2013)
X
[link externo]
Publicação traz artigos, reportagens, conto, poemas e trabalhos de artistas plásticos

Está no ar a segunda edição da Revista Acqua. A publicação virtual colaborativa pode ser acessada em www.unesp.br/revistaacquaou www.unesp.br/projetoacqua
Os principais assuntos desta edição são Política Nacional de irrigação; Água, um assunto de todos nós; Problemática ambiental e seus diversos reflexos; Riscos ambientais de agrotóxicos; Deterioração da água de córrego paulista e Ações sustentáveis na universidade.
Na parte dedicada à arte, a revista conta com a colaboração de imagens de Cle Beda, Ieda Helal, Kátia Velo, Marina de Falco, Marli Takeda, Paulo Pt Barreto, Tereza Yamashita e Vinícius Terra; e de textos de Ligia Dabul e Priscila Lopes.
A publicação é o resultado de um projeto da Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp, a partir de 22 de março último, Dia Mundial de Água, quando foi iniciado o chamamento para textos, de no máximo 4.500 caracteres com espaços, e imagens, com resolução mínima de 300 DPIs, para editar, mensalmente, a revista virtual Acqua.
A ação será desenvolvida ao longo de 2013, declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional de Cooperação pela Água.
O objetivo da revista virtual colaborativa é, seguindo o pensamento da ONU, conscientizar sobre a necessidade de cooperação envolvendo esse recurso e sobre os desafios no que diz respeito à gestão da água.
Podem participar pessoas de dentro ou de fora da Unesp. Vêm sendo recebidos textos e imagens que trabalham, das mais diferentes formas, temas com foco na água, como educação ambiental, diplomacia, gestão em regiões fronteiriças, cooperação financeira, redes legais nacionais e internacionais, entre outros assuntos, envolvendo as mais variadas carreiras em todas as áreas do conhecimento: Biológicas, Exatas e Humanidades, incluindo manifestações artísticas na forma de texto (contos e poesias), imagem (fotografias, desenhos pinturas, gravuras e ilustrações) ou poemas visuais.
A publicação fica disponível virtualmente pela Internet a cada 30 dias, a partir de 22 de abril, emwww.unesp.br/revistaacqua ou www.unesp.br/projetoacqua
O leitor poderá ter acesso, com a revista Acqua, a uma publicação que permitirá conhecer um pouco de textos e imagens dedicados a um tema que já é um dos protagonistas deste século: a água.
Material para e revista pode ser enviado pelo e-mail revistaacqua@reitoria.unesp.br
Dúvidas sobre a revista virtual colaborativa devem ser encaminhadas para unesp.imprensa@reitoria.unesp.br
Participaram desta segunda edição professores da Unesp e de outras instituições de ensino superior, além de integrantes da Assessoria de Comunicação e Imprensa da Universidade.

[Revista Tratamento de Água & Efluentes] Revista Acqua da Unesp foca Política Nacional de Irrigação (27/05/2013)
X
 
Publicação traz artigos, reportagens, conto, poemas e trabalhos de artistas plásticos
Está no ar a segunda edição da Revista Acqua. A publicação virtual colaborativa pode ser acessada em www.unesp.br/revistaacqua ouwww.unesp.br/projetoacqua
Os principais assuntos desta edição são Política Nacional de irrigação; Água, um assunto de todos nós; Problemática ambiental e seus diversos reflexos; Riscos ambientais de agrotóxicos;  Deterioração da água de córrego paulista e Ações sustentáveis na universidade.
Na parte dedicada à arte, a revista conta com a colaboração de imagens de Cle Beda, Ieda Helal, Kátia Velo, Marina de Falco, Marli Takeda, Paulo Pt Barreto, Tereza Yamashita e Vinícius Terra; e de textos de Ligia Dabul e Priscila Lopes.
A publicação é o resultado de um projeto da Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp, a partir de 22 de março último, Dia Mundial de Água, quando foi iniciado o chamamento para textos, de no máximo 4.500 caracteres com espaços, e imagens, com resolução mínima de 300 DPIs, para editar, mensalmente, a revista virtual Acqua.
A ação será desenvolvida ao longo de 2013, declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional de Cooperação pela Água.
O objetivo da revista virtual colaborativa é, seguindo o pensamento da ONU, conscientizar sobre a necessidade de cooperação envolvendo esse recurso e sobre os desafios no que diz respeito à gestão da água.
Podem participar pessoas de dentro ou de fora da Unesp. Vêm sendo recebidos textos e imagens que trabalham, das mais diferentes formas, temas com foco na água, como educação ambiental, diplomacia, gestão em regiões fronteiriças, cooperação financeira, redes legais nacionais e internacionais, entre outros assuntos, envolvendo as mais variadas carreiras em todas as áreas do conhecimento: Biológicas, Exatas e Humanidades, incluindo manifestações artísticas na forma de texto (contos e poesias), imagem (fotografias, desenhos pinturas, gravuras e
[ifronteira] Unesp de Presidente Prudente recebe exposição inclusiva sobre Yu Xuanji (02/05/2013)
X
[link externo]
Será inaugurada nessa sexta-feira (3) a exposição inclusiva “A poesia de Yu Xuanji em imagens, sons e texturas”, no prédio da diretoria da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Presidente Prudente, como parte das comemorações dos 54 anos da instituição. Depois, a mostra poderá ser visitada na biblioteca do campus, de 6 a 10 de maio. A exposição estará enriquecida com a sonorização dos poemas, com a impressão em braile e com a elaboração de modelos táteis.
Yu Xuanji (844 - 869) é um dos principais expoentes femininos da literatura chinesa. A tradução de "Poesia Completa de Yu Xuanji" nasceu da parceria da Editora Unesp com o Instituto Confúcio na Unesp. É a primeira vez que a obra completa de um poeta chinês é traduzida diretamente do mandarim para o português em edição bilíngue. Com 48 poemas reunidos em 144 páginas, o livro apresenta uma consciência feminista precursora para a época em que foi escrita.
A exposição propõe interpretações de 10 dos 48 poemas que constam do livro. Para a ocasião, dez artistas plásticos criaram obras de 40cm x 40cm, desenvolvidas nas mais diferentes técnicas, a partir da interpretação de cada artista plástico a um poema.
Os artistas participantes são: Eiji Yajima, Eduardo Schamó, Fátima Lourenço, Clarice Sarraf, Marines Takano, Marli Takeda, Matiko Sakai, San Bertini, Sheila Oliveira, Shizue, VPadin e Neide Marcondes de Faria. Para que fosse possível a leitura da obra por parte do público junto às obras de cada artista, foi exposto o poema em português e em mandarim.
A gravação em áudio dos textos da exposição em Prudente foi realizada empregando oMemoTouch Voice Labeler, um dispositivo que permite também reproduzir a sonorização, feita pela professora  Glaucia Gro (em mandarim ) e pela professora Arlete Meneguette (em português). A impressão em braile dos poemas em português foi feita no Centro de Promoção para Inclusão Digital, Escolar e Social (CPIDES), onde três modelos táteis de um dos quadros será realizada no dia 6, das 16h às 18hs, com base na arte elaborada pelo designer Matheus Meneguette. Em seguida, os modelos táteis serão integrados à Exposição Inclusiva, para favorecer a apreensão do conteúdo por pessoas com deficiência visual.
[Estadão.com.br] Piquenique Boa Praça (21/03/2013)
X
[link externo]
Piquenique Boa Praça
Alice queria uma festa na praça, mas não em uma praça qualquer. Tinha que ser na praça em frente a sua casa. Como a topografia não ajudava, muito menos a sujeira, o mato e a bagunça, sua mãe fez um acordo: ‘Para que possamos melhorar a qualidade da praça você precisará abrir mão de seus presentes’. A menina topou na hora e a mãe, Cecília Lotufo, arregaçou as mangas para realizar o desejo da filha. Entre parceiros, vizinhos e empresas criou o Movimento Boa Praça – que colabora com a praça na frente da casa dela e de outros espaços na cidade. Entre as atividades do movimento, há piquenique todo último domingo do mês.
 
Mas, como em março tem Páscoa, abril terá dois piquenique, dias 7 e 28, o 43º e 44º piquenique, respectivamente. E eles são sempre temáticos: dia 7, na praça Paulo Schiesari (Av. Heitor Penteado, na esquina das ruas Pedro Soares de Almeida e Rifaina), arte com reaproveitamento de adesivos, com a artista plástica Marli Takeda. O painel será doado para o CJ – centro que atende jovens e crianças carentes fora do período escolar – para um leilão beneficente; dia 28, na praça Amadeu Decome (entre as Av. Cerro Corá e a Av. Heitor Penteado), evento em parceria com o instituto Alana, no qual será exibido o documentário ‘Muito Além do Peso’. Em todos eles, há uma mesa comunitária. “Sugerimos que cada um leve sua caneca e uma comidinha não industrializada. E depois do piquenique a praça deve ficar melhor”, avisa Cecília referindo-se a pinturas, coleta de lixo e plantações que a comunidade realiza no dia do evento. 
 
[Jornal Nippak] EXPOSIÇÃO: Marli Takeda expõe “Percurso, Flexibilidade e Desencobrimento” no Mosteiro de São Bento (25/12/2012)
X
[link externo]

Em comemoração ao centenário da Basílica Abacial de Nossa Senhora da Assunção, padroeira do mosteiro de São Bento de São Paulo, a artista plástica Marli Takeda expõe seus trabalhos no Mosteiro de São Bento, no centro da capital paulista sob a curadoria de Oscar D’Ambrosio.
 
A exposição reúne 26 pinturas e uma instalação na sala do parlatório, construída com reaproveitamento de adesivos e placas de blacklight film. A proposta é colorir a extensão das paredes do corredor do mosteiro com o efeito da luz do sol que penetra pelos vitrais somados à magia e à espiritualidade do ambiente.
 
Os tijolos esculpidos na instalação fazem analogia entre a vida no mosteiro e a resistência da edificação, que dura décadas e séculos. Cada um deles é colocado um a um, de forma cuidadosa, aludindo à soma de conhecimentos e experiência para conseguir uma base sólida.
 
A mostra como um todo traz uma reflexão sobre as escolhas que fazemos vida. Trata-se de uma analogia com o processo de criação dentro do atelier da artista, local de encontro entre pessoas, mundos, oportunidades e técnicas diversas numa aventura que envolve sentimentos de dedicação, amor, carinho, atenção e prazer.
 
No Mosteiro de São Bento três eventos marcaram o local, o último Brunch do ano (uma mistura de café da manhã com almoço após a missa das 10h reuniu mais de cem pessoas para uma confraternização diferente), a apresentação de um Coral no teatro do Mosteiro e a Exposição “Percurso, Flexibilidade e Desencobrimento” da artista plástica Marli Takeda. A mostra ficará nos corredores do Mosteiro de São Bento até 06 de janeiro, de 3ª à 6ª das 13h às 17h, sábado das 10h às 17h e no domingo só após a missa das 10h.

Jornalista Luci Judice Yizima
 
https://www.youtube.com/watch?v=ZxsLG4qVBsw
 
[Biblioteca do Mosteiro de São Bento] Mosteiro recebe a exposição "Percurso, Flexibilidade e Desenconbrimento" da artista plástica Marli Takeda (09/12/2012)
[Allevents] Percurso, Flexibilidade e Desencobrimento (09/12/2012)
X
[link externo]
EXPOSIÇÃO EM COMEMORAÇÃO AO CENTENÁRIO DA BASÍLICA ABACIAL DE NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO - MOSTEIRO DE SÃO BENTO DE SÃO PAULOA artista Marli Takeda expõe seus trabalhos em comemoração ao centenário da Basílica Abacial de Nossa Senhora da Assunção, padroeira do mosteiro de São Bento de São Paulo, local que hospedou o papa Bento XVI em sua primeira visita ao Brasil em 2007.A exposição reúne 26 pinturas e uma instalação na sala do parlatório, construída com reaproveitamento de adesivos e placas de backlight film. A proposta é colorir a extensão das paredes do corredor do mosteiro com o efeito da luz do sol que penetra pelos vitrais somado à magia e à espiritualidade do ambiente. Os tijolos esculpidos na instalação fazem analogia entre a vida no mosteiro e a resistência da edificação, que dura décadas e séculos. Cada um deles é colocado um a um, de forma cuidadosa, aludindo à soma de conhecimentos e experiência para conseguir uma base sólida. A mostra como um todo traz uma reflexão sobre as escolhas que fazemos vida. Trata-se de uma analogia com o processo de criação dentro do atelier da artista, local de encontro entre pessoas, mundos, oportunidades e técnicas diversas numa aventura que envolve sentimentos de dedicação, amor, carinho, atenção e prazer.
Curador : Oscar D’Ambrosio

https://allevents.in/s%C3%A3o%20paulo/percurso-flexibilidade-e-desencobrimento/350209988411612
https://www.youtube.com/watch?v=ZxsLG4qVBsw
[Jornal Nippak] SOCIAL: A artista plástica Marli Takeda abriu a “Exposição Exaltação” na Estação Clínicas do Metrô (03/12/2012)
X
[link externo]
Exposição – A artista plástica Marli Takeda abriu  a “Exposição Exaltação” em 24 de novembro, com a curadoria de Oscar D’Ambrosio, na Estação Clínicas do Metrô, na zona Oeste de São Paulo. A artista faz a intervenção pública na Estação Clínicas do Metrô de São Paulo com reaproveitamento de adesivos.  A exposição teve a participação do público que circulava pela estação e da equipe da artista.  Também colaborou na confecção da obra o presidente de honra do Bunkyo, Kokei Uehara que passa coincidentemente pela estação. A artista teve o apoio do Metrô, A Casa do Artista e Usina 26.
 
Foto: Luci Judice Yizima
 
SPREEKWOORDEN - OS PROVÉRBIOS HOLANDESES (15/10/2012)
X
[link externo]
RESUMO: Relato de uma experiência de uma exposição artística baseada na releitura de um trabalho clássico do renascimento flamengo, tendo por meta o aprofundamento do estudo da relação palavra/imagem. Enquanto para o pintor Pieter Bruegel, os provérbios holandeses foram motivo para elaboração de uma visualização imaginativa, os trabalhos criados e aqui discutidos, enfatizam a interpretação livre, fazendo uso de códigos da linguagem escrita nas artes.. Palavras-Chave: provérbios, relação palavra/imagem, instalação ABSTRACT: Report on an experience of an art exhibition based on the re-reading of the classic work of the Flemish Renaissance having as goal the deepening of the study of the relationship word/image. While for the painter Pieter Bruegel the Dutch proverbs were the issue for the elaboration of an imaginative visualization, the new works here discussed emphasize the free interpretation resorting to codes of written language. Keywords: proverbs, relation word/image, installation
Marli Takeda, vai adotar o provérbio: ele tem mais em si que um arenque vazio, para prestar homenagem a sua falecida sogra, de quem ela herda uma coleção de lápis. Na caixa ela desenha com o pirógrafo a cena que trata disto e dispõe no lado interno da caixa uma fieira com os arenques secando ao sol, numa interessante aproximação entre a cultura japonesa e a holandês.

http://www.anpap.org.br/anais/2013/ANAIS/comites/c/Geraldo%20Souza%20Dias.pdf
https://www.youtube.com/watch?v=A9C_CGGYW-M
 
[Unesp] Unesp - Começou sábado (14) a 2ª Jornada de Direitos Humanos (16/04/2012)
X
Dia 14, houve ainda a abertura da exposição Arte dos Direitos Humanos, com curadoria de Oscar D'Ambrosio. O projeto, da Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp, traz obras de 25 artistas (Altina Felício, Ângela Barbour, Antonio Carlos Goper, Diana Martire, Eduardo Schamó, Eiji Yajima, Eliane Consol, Elza Carvalho, Fátima Lourenço, Fernanda Cobra, Hélio Schonmann, Isabel Pochini, Lúcia Neto, M. Clarice Sarraf, Maria Pinto, Marina de Falco, Marília Martin, Marli Takeda, Matiko Sakai, Maura de Andrade, Ruth Kelson, San Bertini, Suzana Azevedo, Sheila Oliveira e Zilamar Takeda) inspiradas na versão da Declaração Universal dos Direitos Humanos de Frei Beto.
Além de palestras, mesas-redondas e oficinas, a Jornada contará com atividades especiais, algumas inéditas em Bauru. Um exemplo é o debate, no dia 16/04, na Sessão da Câmara Municipal, sobre a implantação da Comissão Municipal de Direitos Humanos, de forma a ser colaboradora da Comissão Estadual da Verdade (CEV). O evento terá a presença de Adriano Diogo, membro da CEV da Assembleia Legislativa de São Paulo. “”Queremos um país em que não se prenda alguém por pensar crime de opinião, ou seja, apenas por pensar de forma diferente”, disse Antonio Pedroso Jr., diretor do Centro de Estudos Sociais e Políticos “Nossa memória ninguém apaga”, de Bauru, entidade coorganizadora do evento.
No dia 19/04, no auditório da Instituição Toledo de Ensino, será realizada a Caravana da Anistia, com sessão de julgamentos de requerimentos de anistia. A sessão é inédita em Bauru e contará com a presença de Dr. Paulo Abrão Pires Júnior, presidente da Comissão de Anistia, e de outros conselheiros.
Na programação cultural, estão previstos o lançamento, no dia 20, do livro Futebol e Ditadura; e a apresentação da peça teatral Filha da Anistia, nos dias 20, 23 e 24, além de exibições de filmes e exposições de arte.
 
Informações em www.oedh.unesp.br e pelo telefone (14) 3103-6172.
 
Fonte - Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp
 
[Made in Japan] A Partitura do Jardim (06/03/2012)
X
[link externo]
A artista plástica Marli Takeda realiza nova intervenção em uma espaço público. Depois de decorar as paredes do túnel de acesso do Metrô Clínicas, agora é a movimentada estação São Bento o local escolhido.
O trabalho presta homenagem ao Mosteiro de São Bento, prédio com mais de 400 anos de história e uma das atrações turísticas da região.
A intervenção mostra uma partitura de canto gregoriano. São quatro linhas horizontais que acolhem notas musicais formadas por rosáceas, que “aludem não só aos vitrais da igreja, mas também às flores do jardim do mosteiro”.
Serão 18 rosáceas representadas por 9 círculos com diâmetros de 18cm e 12 cm, completando um total de 162 círculos ocupando um espaço de 2,40 X 16,6 m e 2,40 X 4 m.
O trecho da partitura gregoriana representado pela colocação das rosáceas é “Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós”, frase da oração “Ave Maria”. A instalação evoca assim também o célebre pensamento de Santo Agostinho que cantar é orar duas vezes.
“A ideia é criar uma atmosfera de contemplação e reflexão sobre os percursos que escolhemos”, diz Marli. “Assim como nas duas instalações anteriores, os adesivos recortados manualmente exploram o exercício contínuo de lidar com formas e sobreposições”.
A Partitura do Jardim
Quando: 10 de março a 30 de abril de 2012
Onde: Espaço Cultural BTO1 e BTO2, Estação São Bento, Linha Azul do Metrô

[Galeria Eduardo Fernandes] GERALDO SOUZA DIAS | SPREEKWOORDEN, OS PROVÉRBIOS HOLANDESES (06/03/2012)
X
[link externo]
 
GERALDO SOUZA DIAS | SPREEKWOORDEN, OS PROVÉRBIOS HOLANDESES
06.03.2012 à 31.03.2012
Espaço Cultural da Biblioteca Nadir Kfoury da PUC SP
 
Coordenados por Geraldo Souza Dias, professor da disciplina “Palavra & Imagem” do programa de pos-graduacão da Escola de Comunicacões e Artes da USP, 18 artistas plásticos expõem pinturas, fotografias, colagens, objetos, vídeo e instalações que dialogam com a obra Os Provérbios Holandeses, de Pieter Bruegel, no Espaço Cultural da Biblioteca Nadir Kfoury da PUC SP.


A exposição “spreekwoorden os provérbios holandeses”, que abre no dia 6 de marco de 2012 no espaço expositivo da Biblioteca Nadir Kfoury da PUC, em São Paulo, toma como referência a obra homônima de Pieter Bruegel (1525-1569) de 1559.
No trabalho de Bruegel, uma aldeia à beira de um rio próximo ao mar é o cenário para ações aparentemente cotidianas de seus habitantes. Relacionando múltiplas pequenas cenas, o artista cria uma grande paisagem urbana onde, de acordo com os historiadores de arte alemães identificam-se 118 provérbios ilustrados por imagens ou motivos presentes na pintura. Os provérbios exibem a tolice e o absurdo do comportamento humano e dão visualidade a conceitos como traição, mentira e hipocrisia. Pode se dizer que Bruegel cria uma “paisagem proverbial”.
A exposição permanece ao publi
A exposição permanece ao publico até o dia 31 de marco e o horário de visitação e de 2a a 6a das 8 as 22 e aos sábados das 9 as 17h, no Espaço Expositivo da Biblioteca Nadir Kfoury da PUC, Rua Monte Alegre 984,   Perdizes, Sao Paulo. Entrada franca.   
Artistas participantes: Ana Estareguy,  Cassia Castro, Fernanda Grigolin, Geraldo Souza Dias, Josiane Cavalcanti, Julio de Ló, Lucas Jara, Matiko Sakai, Margarete Barbosa, Mariana Parzewski, Marli Takeda, Monica Barth, Patrícia Miranda, San Bertini, Teresinha Chiri, Tiago Gomes, Vagner Godói e Wagner Leite Viana.

http://www.anpap.org.br/anais/2013/ANAIS/comites/c/Geraldo%20Souza%20Dias.pdf
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=A9C_CGGYW-M
https://www.youtube.com/watch?v=A9C_CGGYW-M
[Puc-SP] "Spreekwoorden" Os Provérbios Holandeses (06/03/2012)
X
[link externo]
"Spreekwoorden" Os Provérbios Holandeses
Holandeses, de Pieter Bruegel, no Espaço Cultural da Biblioteca Nadir Kfouri da PUC SP

Coordenados por Geraldo Souza Dias, professor da disciplina “Palavra & Imagem” do programa de pós-graduacão da Escola de Comunicações e Artes da USP, 17 artistas plásticos expõem pinturas, fotografias, colagens, objetos, vídeo, instalações e performance, que dialogam com a obra Os Provérbios Holandeses, de Pieter Bruegel, no Espaço Cultural da Biblioteca Nadir Kfoury da PUC SP

A exposição "spreekwoorden"os provérbios holandeses" toma como referência a obra homônima de Pieter Bruegel (1525-1569) de 1559. No trabalho de Bruegel, uma aldeia à beira de um rio próximo ao mar é o cenário para ações aparentemente cotidianas de seus habitantes. Relacionando múltiplas pequenas cenas, o artista cria uma grande paisagem urbana onde, de acordo com os historiadores de arte alemães identificam-se 118 provérbios ilustrados por imagens ou motivos presentes na pintura. Os provérbios exibem a tolice e o absurdo do comportamento humano e dão visualidade a conceitos como traição, mentira e hipocrisia. Pode se dizer que Bruegel cria uma "paisagem proverbial". 
Artistas Participantes:
Geraldo Souza Dias, Teresinha Chiri, Cassia Castro, Wagner Leite Viana, Monica Barth, Fernanda Grigolin, Lucas Jara, Carlos Monroy, Ana Estareguy,  Marli Takeda, Margarete Barbosa, Matiko Sakai, Patricia Miranda, Tiago Gomes,  Josiane Cavalcanti, Julio de Lo e Vagner Godoi
Entrevista:
Exposição Spreekwoorden - Os Provérbios Holandeses
Abertura dia 06 de março  as 19h00  término dia 31 ,  de 2a a 6a das 8 as 22 e aos sábados das 9 as 17h, no Espaço Expositivo da Biblioteca Nadir Kfouri da PUC, rua Monte Alegre, 984 - Perdizes São Paulo. Entrada franca.
Apoio Videoteca e Interarte Cultura PUCSPmais informações : 3670-8267      videoteca@pucsp.br 
https://www.youtube.com/watch?v=A9C_CGGYW-M
[Jornal Joseense News] Confira a agenda cultural do feriado de Carnaval (07/02/2012)
X
[link externo]
A tradicional festa paulistana surge com o chamado Carnaval de rua, consistente em bailes e brincadeiras populares pelas ruas da cidade, centralizada na figura dos cordões localizados em bairros de concentração operária como Vai-Vai, na Bela Vista, e Camisa Verde e Branco, na Barra Funda. Na década de 1950, inspirados no carnaval carioca, os cordões transformaram-se em escolas de samba. Nos idos de 1968, ocorre na Avenida São João/Anhangabaú o primeiro desfile oficial da cidade, consagrando a Escola de Samba Nenê de Vila Matilde como primeira campeã do carnaval paulista. Em 1977, o desfile transferiu-se para a Avenida Tiradentes, com arquibancadas que comportavam 30 mil pessoas. As comemorações carnavalescas ocorrem desde 1993 no Sambódromo do Anhembi, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que também projetou o Sambódromo da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro.

Carnaval é cultura

 A Folia de Reis também se manifesta por meio de exposições. A mostra O carnaval da nossa gente era o arnaval de antigamente…, produzida pela CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), em parceria com a ABBC (Associação das Bandas, Blocos e Cordões Carnavalescos do Município de São Paulo), resgata a alegria e a interação entre os sambistas e o povo nas antigas festas do rei momo.
As imagens de coberturas jornalísticas dos saudosos carnavais paulistanos, das décadas de 1970 a 1990, foram obtidas no acervo do extinto Diário Popular, atualmente Diário de S. Paulo. As fotos também retratam a história e os caminhos que os carnavalescos e o samba paulistano percorreram para atingir o sucesso dos dias atuais. A exposição permanece no saguão principal da Estação da Luz.
O Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, em Piracicaba, exibe Máscaras de carnaval. O carnavalesco e decorador de salões por mais de 35 anos, Carlos ABC, criou, confeccionou e exibe máscaras que têm em média um metro de diâmetro, moldadas em acetato e ornamentadas com paetês, galões de metaloides, lantejoulas, lamês, franjas, brocados, rendas, etc. As figuras representadas são as mais tradicionais dos salões e de desfiles de rua, nos carnavais de todos os tempos, desde os personagens da Comédia Del’Arte, (Pierrot, Arlequim e Colombina) até bobos da corte, palhaços, árabes, melindrosas, índios, entre outras.
Natureza
A artista Marli Takeda propõe despertar o olhar para a preservação da natureza e, ao mesmo tempo, refletir sobre as diversas possibilidades criativas, com a reutilização de objetos. Curadoria de Oscar D’Ambrosio.
Estação Clínicas
[Diário da CPTM] Estação Estudantes da CPTM terá galeria (05/02/2012)
X
[link externo]
Levar arte, poesia e cultura para as estações do sistema metroferroviário paulista. A proposta é "mágica" e já existe, especialmente nos terminais da Capital. A previsão da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) é de que em Mogi das Cruzes também exista um espaço semelhante. A Estação Estudantes, que será reformada a partir do próximo ano, deverá ganhar uma passagem subterrânea para pedestres, cujo conceito vai muito além de um simples local de passagem para travessia dos trilhos. O corredor, que deverá somar cerca de 300 metros de comprimento, terá ares de uma "galeria de arte". A garantia foi dada na última segunda-feira pelo presidente da CPTM, Mário Bandeira, que esteve na Cidade para uma visita ao gabinete do prefeito Marco Bertaiolli.
Na Linha Verde, o destino foi a Estação Clínicas, em Pinheiros. O terminal possui um amplo corredor de passagem, que é constantemente utilizado para dar espaço a exposições e manifestações culturais, dos mais diversos segmentos. Nesta semana, o local recebia a exposição "Natureza", de Marli Takeda. A partir da colagem de sobras de adesivos, a artista criou seis árvores, com 3,5 metros de altura cada uma, que se estendem por cerca de 20 metros no interior da passarela. Além do aspecto artístico, a intervenção também possui forte apelo conceitual, já que chama a atenção para a reciclagem e reutilização de materiais como forma de preservação ambiental.
Júlia Guimarães
 
[Faac - Unesp] (25/01/2012)
X
[link externo]
Biografia Obra Marli TakedaDireito à preservação do patrimônio cultural da humanidade, 2011Técnica Mista40cm 40cm
Fontes PesquisadasPor Audrey Jorge, aluna de Graduação em Educação Artística na UNESP de Bauru. Créditos da Imagem por: Daniel Patire\ ACI - Unesp
[FEPAF - Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais] Direitos Humanos é tema de exposição no Museu do Café (25/01/2012)
X
[link externo]
Direitos Humanos é tema de exposição no Museu do Café

A versão popular da Declaração Universal dos Direitos Humanos de Frei Betto é o ponto de partida para que 25 artistas plásticos realizem obras sobre diversas questões sociais e políticas que envolvem a cidadania e seus desafios sociais e políticos. Os trabalhos formam a exposição A Arte dos Direitos Humanos, que permanecerá no Espaço Cultural do Museu do Café de 25 de janeiro a 26 de fevereiro de 2012. 

As obras foram realizadas na mais variadas técnicas, como óleo, acrílica, intervenção sobre fotografia, colagem e lã de ovelha, com obras dos artistas Altina Felício, Ângela Barbour, Antonio Carlos Goper, Diana Martire, Eduardo Schamó, Eiji Yajima, Eliane Consol, Elza Carvalho, Fátima Lourenço, Fernanda Cobra, Hélio Schonmann, Isabel Pochini, Lúcia Neto, M. Clarice Sarraf, Maria Pinto, Marina de Falco, Marília Martin, Marli Takeda, Matiko Sakai, Maura de Andrade, Ruth Kelson, San Bertini, Suzana Azevedo, Sheila Oliveira e Zilamar Takeda. 

De acordo com Oscar D’Ambrosio, curador da exposição, o objetivo é levar o público a refletir sobre a questão dos direitos humanos. “Para isso, cada artista trabalhou com um deles das maneiras mais variadas possíveis. Temos desde ilustrações mais literais das frases concebidas pelo Frei Betto a interpretações mais complexas e abstratas”. 
[Acontece Botucatu] Museu do Café mostra “A Arte dos Direitos Humanos” (25/01/2012)
X
[link externo]
Museu do Café mostra “A Arte dos Direitos Humanos”

A versão popular da Declaração Universal dos Direitos Humanos do Frei Betto é o ponto de partida para que 25 artistas plásticos realizem obras sobre diversas questões sociais e políticas que envolvem a cidadania e seus desafios sociais e políticos. Os trabalhos formam a exposição “A Arte dos Direitos Humanos”, que permanecerá no Espaço Cultural do Museu do Café de 25 de janeiro a 26 de fevereiro de 2012.

As obras foram realizadas na mais variadas técnicas, como óleo, acrílica, intervenção sobre fotografia, colagem e lã de ovelha, com obras dos seguintes artistas: Artistas: Altina Felício, Ângela Barbour, Antonio Carlos Goper, Diana Martire, Eduardo Schamó, Eiji Yajima, Eliane Consol, Elza Carvalho, Fátima Lourenço, Fernanda Cobra, Hélio Schonmann, Isabel Pochini, Lúcia Neto, M. Clarice Sarraf, Maria Pinto, Marina de Falco, Marília Martin, Marli Takeda, Matiko Sakai, Maura de Andrade, Ruth Kelson, San Bertini, Suzana Azevedo, Sheila Oliveira e Zilamar Takeda. 

“O objetivo da exposição é levar o público a refletir sobre os direitos humanos. Para isso, cada artista trabalhou com um deles das maneiras mais variadas possíveis. Temos desde ilustrações mais literais das frases concebidas pelo Frei Betto a interpretações mais complexas e abstratas”, diz Oscar D’Ambrosio, curador da exposição.

Os trabalhos foram doados pelos artistas à Unesp com o objetivo de que a exposição realize uma itinerância não apenas pelas 33 unidades da Universidade, mas também por cidades onde a instituição não tem câmpus ou locais que desejem promover a cidadania por meio do diálogo entre diversas facetas do mundo contemporâneo e as artes visuais.

A exposição pode ser visitada no horário de funcionamento do Museu do Café. De segunda a sexta-feira das 9 às 11h e das 14 às 17 horas. Aos sábados, domingos e feriados o horário é das 12 às 17 horas. O Museu pode ser contatado por meio do telefone (14) 3811-7240 ou pelo email: museudocafe@fca.unesp.br

[Viletim Cultura] Confira a agenda cultural da semana no Estado de São Paulo (20/01/2012)
X
[link externo]
Toda sexta-feira, o Portal do Governo do Estado de São Paulo e a Agência Diário Oficial trazem programação cultural com diversas opções para o final de semana. Entre os destaques, o espetáculo teatral Florilégio - que homenageia compositores da música nacional e internacional dos anos 50. Outra opção, no Museu da Casa Brasileira, é a exposição Brincar com arte - o brinquedo popular do Nordeste: há cavalinhos de pau, bonecas de pano (grandes e pequenas), ioiôs e piões. Há também dicas de filmes e exposições. Confira as novidades da próxima semana:
NaturezaA artista Marli Takeda propõe despertar o olhar para a preservação da natureza e, ao mesmo tempo, refletir sobre as diversas possibilidades criativas, com a reutilização de objetos. Curadoria de Oscar D'Ambrosio.Estação Clínicas
 
https://www.youtube.com/watch?v=dF-rytXCWrQ
[Laboratório das Artes] Abertura da Exposição do OKA foi sucesso (08/11/2011)
X
[link externo]
Com a presença do curador do grupo Oka, o crítico Oscar D Ambrósio e dezenas de artistas e interessados em artes visuais modernas, foi aberta a exposição Florestas do grupo paulistano, com obras dos artistas Eiji Yajima, Auro Okamura, Eduardo Schamó, Fátima Lourenço, Marinês Takano, M. Clarice Sarraf, Marli Takeda, Matiko Sakai, San Bertini, Sheila Oliveira, Shizue e VPadin. A mostra é aberta ao público e fica em cartaz até o dia 30 de novembro.
 
[Veja] - Doação de obra de artes (20/05/2010)
X

Doação de obra de arte
11:53 | 20 de Maio de 2010
 
Algumas ações sociais continuam acontecendo no âmbito da 4ª edição da Feira Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente (Fiema), mesmo depois do encerramento do evento. Na terça-feira (18/05), por exemplo, foi concretizada a doação de uma das obras que integraram o 2º Salão Internacional de Artes da Fiema para a Associação Bentogonçalvense de Convivência e Apoio à Infância e a Juventude (Abraçaí). O quadro, um acrílico sobre tela criado pela artista plástica Marli Takeda, leva o título "Outras conotações despertam novas reflexões". A Associação Abraçaí atende atualmente a 120 crianças, em turno inverso ao da escola, proporcionando diversas atividades pedagógicas, culturais e esportivas. Os pequenos atendidos apresentam situação de vulnerabilidade social. Desde 2009, o Abraçaí funciona como uma franquia do Programa Florescer, do Instituto Elisabetha Randon Pró Educação e Cultura, de Caxias do Sul. (Envolverde)
[Olá Serra Gaúcha] Obra de arte é doada pela Fiema à associação Abraçaí (19/05/2010)
X
[link externo]
A entidade atende atualmente a 120 crianças, em turno inverso ao da escola, proporcionando diversas atividades pedagógicas, culturais e esportivas

Associação Bento-gonçalvense de Convivência eApoio à Infância e a Juventude – Abraçaí recebeu na última terça-feira, 18, uma obra de arte que integrou o 2º Salão Internacional de
 
 
Artes da Fiema de Bento Gonçalves.
 
A pintura foi entregue ao presidente, Jovino Demari, e à diretora executiva da entidade, Eliana Casagrande Lorenzini, foi realizada pelo presidente da Fiema 2010, Marcio Chiaramonte, e pelas curadoras do Salão, Neiva Poletto e Maria Del Rosário.
O quadro, um acrílico sobre tela, leva o título "Outra conotações despertam novas reflexões”. A obra foi criada pela artista plástica Marli Takeda, de São Paulo. Ao final do Salão da Fiema, ela disponibilizou o trabalho para doação para uma instituição beneficente de Bento Gonçalves.
 
A Associação Abraçaí atende atualmente a 120 crianças, em turno inverso ao da escola, proporcionando diversas atividades pedagógicas, culturais e esportivas. Os pequenos atendidos apresentam situação de vulnerabilidade social. Desde 2009, o Abraçaí funciona como uma franquia doPrograma Florescer, do Instituto Elisabetha Randon Pró Educação e Cultura, de Caxias do Sul.
 

2013-2022  Marli Takeda
Facebook Marli Takeda     Instagram Marli Takeda